10 Mitos e Verdades sobre a Cirurgia de Mama

Várias dúvidas podem surgir quando a mulher decide fazer uma cirurgia, seja ela de aumento, redução ou reconstrução da mama

A cirurgia de mama, também chamada de mamoplastia, é um dos procedimentos mais procurados pelas mulheres que desejam aumentar, diminuir ou levantar os seios. Ela também é indicada para os casos de reconstrução da mama, quando a mulher se submeteu a uma retirada total ou parcial do seio em decorrência de um câncer.

É um procedimento que causa muitas dúvidas às mulheres, por isso, separamos alguns mitos e verdades sobre a cirurgia de mama, seja ela de aumento, de redução ou reconstrução.

Cirurgia de mama para aumentar os seios

Próteses de silicone atrapalham a amamentação.

Mito. A cirurgia de mama que é realizada com a implantação de uma prótese pode alterar a sensibilidade das mamas por alguns meses, mas não há risco de que ela interfira na amamentação porque o implante é colocado por trás da glândula e não em seu interior. Assim, não há interferência na produção do leite materno.

Você pode continuar realizando suas mamografias de rotina.

Verdade. A prótese não impede a realização do exame, porém, o técnico que realizará o procedimento deve ser avisado sobre a presença do implante para que ele utilize técnicas específicas para a obtenção das imagens.

As pessoas vão saber que é silicone.

Mito. Com os diversos modelos de prótese e técnicas cirúrgicas cada vez mais avançadas, é possível obter resultados muito naturais com a cirurgia de mama que visa o aumento dos seios.

Os implantes de mama devem ser trocados a cada cinco anos.

Mito. As próteses de silicone não têm um prazo de validade estipulado. Elas devem ser acompanhadas pelo médico por meio de exames de imagem e, se houver alguma alteração, aí sim devem ser substituídas.

Cirurgia de mama para diminuir os seios:

A mamoplastia redutora é a cirurgia que visa reduzir o tamanho das mamas, melhorando a sua harmonia com o tórax e o conjunto corporal.

Não é indicada para mulheres que desejam engravidar.

Mito. Este tipo de cirurgia de mama pode ser realizado por mulheres que desejam engravidar. A recomendação é apenas que a gravidez seja evitada nos primeiros 12 meses após o procedimento.

As próteses de silicone nunca podem ser usadas em uma cirurgia de mama que reduz os seios.

Mito. Embora a mamoplastia redutora objetive redução do tecido mamário e obtenha, em geral, um bom formato com a adequada montagem das mamas com o tecido remanescente, por vezes a utilização de um implante pode ser útil nas reduções pequenas ou nas mastopexias. O uso de prótese em grandes reduções pode aumentar o risco de deiscência e necrose de aréola, devendo ser indicado com cautela pelo cirurgião, preferencialmente em um segundo tempo cirúrgico.

É necessário usar um sutiã especial no pós-operatório.

Verdade. Neste tipo de cirurgia de mama, a mulher precisa usar um sutiã especial após a realização do procedimento. A peça deve ter uma boa estrutura de suporte e precisa ser utilizada de dia e à noite por cerca de um a dois meses, conforme recomendação médica.

Cirurgia reconstrutiva de mama

A reconstrução mamária é um procedimento médico que visa restaurar a mama por meio de determinadas técnicas de cirurgia plástica. Confira o que é mito ou verdade nesse procedimento.

A cirurgia de reconstrução de mama deve ser realizada junto com a mastectomia.

Mito. Depende do tipo de tratamento. Se a mulher tiver urgência de fazer radioterapia adjuvante após a retirada da mama, a cirurgia de reconstrução deve ser realizada depois que terminarem as sessões, ou seja, tardia. Pacientes que por algum motivo não haja segurança da completa ressecção do tumor, idealmente deve postergar a reconstrução enquanto esperam o resultado das biópsias (anátomo-patológico) definitivo.

Na cirurgia de reconstrução sempre é colocado implante de silicone.

Mito. Esse tipo de cirurgia de mama pode ser realizado de três maneiras: com colocação de prótese de silicone, com transferência de retalhos de pele (retira-se parte da pele, do tecido adiposo e dos músculos da paciente para se reconstruir a mama) ou com um expansor cutâneo.

Nesse caso, o cirurgião insere uma espécie de prótese vazia sob a pele para promover, gradualmente, a expansão do tecido, por meio da aplicação de soro fisiológico, até atingir o tamanho desejado. Após este primeiro processo, uma segunda intervenção é realizada para remover o expansor e colocar o implante definitivo.

A mama não ficará com a mesma aparência depois da cirurgia.

Verdade. A mama não terá uma estética semelhante à de antes. A presença de cicatrizes é comum, principalmente nos casos em que são necessários transplantes de pele e uso do expansor. A sensibilidade também não voltará a ser como antes. Ainda assim, a obtenção de um formato mamário adequado promove resultados bastante aceitáveis, em geral, com grande melhora do bem-estar das pacientes e garantia de sua feminilidade.

Tem interesse em fazer uma cirurgia para remodelar os seios? A principal dica para quem deseja realizar uma cirurgia de mama é encontrar um cirurgião qualificado e que esteja disposto a tirar todas as suas dúvidas. Assim, fica mais fácil alinhar suas expectativas em relação ao procedimento e aos resultados.

Fontes

Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica

Dr. Rogério Mendes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.