WhatsappWhatsapp

Também conhecida como lifting de mama, a mastopexia tem como objetivo compor um novo contorno para as mamas, através da remoção do excesso de pele e do reposicionamento da aréola e do tecido mamário.

Imagem ilustrativa de antes e depois da mastopexia

A mastopexia corrige as mamas caídas e reestabelece a autoestima da mulher – Imagem: Shutterstock

A mastopexia pode ser feita em diversas situações, proporcionando uma mama mais jovem e firme, o que pode resultar em um aumento considerável da autoestima e confiança das pacientes.

Veja a seguir todas as particularidades da cirurgia com informações cedidas pelo cirurgião plástico Dr. Rogério Mendes. Confira.

Quando é indicado a mastopexia?

A mastopexia é indicada para mulheres que tenham sofrido alguma alteração significativa e perda da elasticidade da pele das mamas em decorrência de:

  • Gravidez;
  • Amamentação;
  • Envelhecimento;
  • Oscilação de peso;
  • Gravidade ou ação do tempo;
  • Hereditariedade.

É importante que as pacientes que procurem pela mastopexia tenham expectativas realistas do procedimento, e a busquem para satisfação pessoal, não deixando se influenciar pela opinião e nem pelo resultado de terceiros.

É indicado que pacientes que desejam realizar a mastopexia e ainda querem engravidar posterguem a cirurgia, já que as mudanças provenientes da gravidez podem alterar consideravelmente os resultados.

Pré-operatório da mastopexia

Ainda que os resultados que a mastopexia pode oferecer tenha a sua importância, a paciente deve se atentar aos cuidados necessárias no pré-operatório do procedimento.

O pré-operatório da mastopexia tem início logo na primeira consulta.

Durante a consulta, o cirurgião pode avaliar fisicamente a região. Neste momento, é comum que o profissional examine os seios, tire medidas detalhadas de seu tamanho e forma, analise a qualidade da pele e a posição dos mamilos e aréolas, compreendendo as alterações necessárias.

Feito isso, são discutidos então os resultados que podem ser esperados e quaisquer riscos ou complicações potenciais do procedimento. Para que seja possível realizar a mastopexia, a paciente também deve seguir algumas recomendações médicas, como:

  • Caso seja fumante, é necessário interromper ou diminuir o hábito duas semanas antes do procedimento — a paciente também deve evitar fumar durante a recuperação da mastopexia;
  • Evitar a ingestão de álcool nos dias que antecedem a cirurgia;
  • Não se medicar com ácido acetil salicílico — Aspirina, Bufferin ou AAS — e/ou anti-inflamatórios — Voltaren ou Cataflan —, já que estes medicamentos podem prejudicar o andamento do procedimento.

A paciente também deve estar em jejum de nove horas que antecede a mastopexia, inclusive de líquidos, e comparecer ao local do procedimento duas horas antes do horário para dar entrada na internação e se preparar para entrar em centro cirúrgico.

Outras orientações podem ser feitas de acordo com as individualidades de cada paciente, assim como se a mastopexia é a cirurgia indicada ou se a paciente precisa da mamoplastia de aumento, por exemplo.

Como a mastopexia é feita?

A mastopexia pode ser feita por diferentes maneiras, que incluem formas variadas de incisão.

As técnicas de incisão levam em consideração a qualidade, quantidade e elasticidade da pele, tamanho e forma da mama e das aréolas e o grau de flacidez da mama.

Primeiramente, a paciente é submetida à uma anestesia, que pode ser tanto sedação intravenosa e anestesia geral. A escolha é feita pelo cirurgião plástico de acordo com o resultado dos exames clínicos.

Após a anestesia, o cirurgião realizará as incisões, que podem ser feitas de três formas:

  • Ao redor da aréola;
  • Ao redor da aréola, verticalmente para baixo da aréola, em direção ao sulco da mama;
  • Ao redor da aréola, verticalmente para baixo da aréola, em direção ao sulco da mama e, horizontalmente, ao longo do sulco da mama, formando um T.

Algumas das incisões são feitas respeitando o contorno natural das mamas, fazendo com que elas fiquem minimamente visíveis, enquanto outras ficam visíveis, ainda que pequenas, na superfície da mama. Feita as incisões, então é iniciada a remodelação dos seios.

Neste momento, o tecido mamário é levantado e remodelado, proporcionando a firmeza e melhora no contorno das mamas. O mamilo e a aréola são reposicionados e, se for necessário, o tamanho das aréolas pode ser reduzido.

Por fim, a pele em excesso é removida, compensando a perda de elasticidade. As incisões são fechadas por meio de suturas, adesivos de pele e/ou fita cirúrgica.

Como é o pós-operatório da mastopexia?

Após a finalização do procedimento, é comum que sejam colocados curativos sob as incisões. Pode ser necessário também utilizar uma bandagem elástica ou sutiã para minimizar o inchaço e sustentar a mama.

Em alguns casos, é indicado o uso temporariamente de um dreno, responsável por drenar excesso de sangue e de fluídos que possam acumular após a mastopexia.

Nas primeiras 24 horas, a paciente deve permanecer deitada com o tronco elevado a 30º — com o auxílio de dois travesseiros — ou sentada. É importante também que a paciente evite deitar-se de bruços ou de lado. Para facilitar, podem ser utilizados travesseiros para proporcionar maior conforto para a paciente.

Além disso, é importante ter os seguintes cuidados durante o pós-operatório da mastopexia:

  • Evitar expor a região operada ao sol por pelo menos três meses;
  • Dê preferência para roupas confortáveis e que sejam fáceis de vestir;
  • Não realizar movimentos de grande amplitude com os braços e não levantar os braços acima dos ombros nas primeiras duas semanas;
  • Seguir uma dieta equilibrada, rica em frutas e legumes, evitando o consumo demasiado de doces, frituras, refrigerantes e bebidas alcoólicas;
  • Consumir água regularmente, estimulando o trânsito intestinal.

É comum que sejam prescritos anti-inflamatórios, antibióticos e analgésicos para maior conforto durante a recuperação. A paciente deve respeitar o horário e a dosagem dos medicamentos.

Caso algum incômodo persista mesmo com o uso dos medicamentos, entre em contato com o seu cirurgião para compreender o que pode ser feito, evitando a automedicação.

Os edemas e inchaços devem desaparecer após três a seis meses da cirurgia, período em que a pele ainda está se acomodando e a mama ainda está em fase de cicatrização. Estima-se que os resultados definitivos da mastopexia podem ser vistos normalmente após 12 meses.

Para saber mais sobre a mastopexia e realizar uma avaliação, entre em contato com o Dr. Rogério Mendes e marque uma consulta!

Fontes:

Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP);

Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica – Regional São Paulo